Os desafios de um gestor de transporte de funcionários

Uma vez um gestor de uma empresa bastante conhecida, responsável pelo serviço de transporte interno que buscava os colaboradores em casa e os levava até a empresa, chegou até nós dizendo que não sabia bem o que estava acontecendo no dia a dia da sua operação. Ele havia contratado uma empresa de fretamento que fornecia os ônibus e motoristas, mas ainda tinha que entregar o planejamento para ser executado.

Dizia-nos, frequentemente, que tinha de contrapor os pedidos de hora extra de funcionários que justificavam o tempo excedente colocando a culpa nos ônibus que chegavam antes do turno começar. O mesmo acontecia para as justificativas de atraso. Mas muitas outras coisas o incomodavam, como a suspeita de que existiam pessoas que pediam acesso ao serviço, mas não faziam uso do mesmo. De que ocorriam caronas indevidas causando superlotação em algumas linhas e ociosidade em outras. Sobre o planejamento que ele fazia, pairava a dúvida quanto a eficiência das rotas, já que era um processo manual e moroso, difícil de se manter com a rotatividade de colaboradores. Sua intuição dizia que havia dinheiro a ser economizado com um planejamento mais profissional e automatizado.

Essa breve história, pode soar familiar a você. Se você se sente na pele desse gestor, gostaria de lhe confortar dizendo que você não está sozinho, muito pelo contrário, é um problema que se repete em muitas empresas no Brasil e no resto do mundo. E se você está buscando uma solução para esses problemas, respire aliviado, nós estamos aqui e podemos te ajudar.

Eu sou Warner Vonk, CEO da Buus e há anos ajudamos empresas como a TV Globo, Petrobras, Dell, o Comitê Olímpico Brasileiro (COB), a Coesa Transportes e muitas outras a gerenciar o transporte de seus colaboradores e a manter sua operação sob controle. Com a nossa plataforma baseada em smartphones, você consegue planejar de forma eficiente suas rotas, fazer controle de embarque, medir a ocupação do serviço e acompanhar métricas de qualidade (ex: pontualidade, aderência, desvios, entre outros). Mantém também o passageiro e o motorista informados dos itinerários, horários e a localização do veículo.

Ao longo dessa jornada na Buus, vimos que apesar de cada empresa ter uma questão específica a ser resolvida, existe um padrão observável. Dele, destacamos três pontos:

  • Informação essenciais não são comunicadas de forma eficaz, ou sequer estão disponíveis para os stakeholders como, passageiros, motoristas, gestores e fornecedores;
  • Falta de uma maneira confiável, isenta e prática, que forneça as informações necessárias para medir e verificar o serviço de transporte prestado;
  • Grande dificuldade em se gerar e manter o planejamento de rotas a partir dos endereços de passageiros e horários dos turnos, considerando a rotatividade dos usuários e as restrições impostas como, orçamento, frota disponível, distância máxima percorrida à pé e outras.

Essas são questões típicas enfrentadas por quem é responsável pelo deslocamento pendular (casa-trabalho-casa) de uma força de trabalho, e cujo trabalho é fundamental para manter a atividade produtiva sem interrupções. Em geral, o primeiro parceiro em que se pensa na hora de montar uma operação como essa — o prestador do serviço de fretamento — não possui o know-how tecnológico para endereçar essas questões relevantes para o empregador.

“Parabéns! Está tudo fluindo muito bem, não estamos tendo mais atrasos, os funcionários estão chegando descansados e nossa produtividade está ótima!”

Da mesma forma como não ouvimos elogios quando lavamos uma louça bem lavada e deixamos a pia brilhando, dificilmente ouvimos um elogio ao trabalho de um gestor de transporte. Como um quarto ponto a ser destacado, a realidade é que quando alguém entra em contato, é para pedir algo ou para reclamar de alguma coisa. Normalmente, os problemas precisam ser resolvidos na hora e se esquece por completo de todo o sucesso anterior. Afinal, falar mal é da natureza humana! Quando sofremos por conta de um mau atendimento ou de erros em um serviço, contamos para várias pessoas. Mas quando o atendimento é bom ou não ocorre nenhum problema, não nos empenhamos da mesma maneira.

Gostamos de pensar aqui na Buus, que ajudamos os gestores e operadores, a demonstrarem por meio de evidências baseada em dados, que na maior parte do tempo, um excelente serviço está sendo realizado. E após anos reunindo estudos, experiências e aprendizados, criamos este espaço para compartilhar essas observações com as pessoas que trabalham na gestão do transporte de colaboradores, acadêmicos e curiosos.

Seja bem-vindo e siga-nos aqui na comunidade.

Conte com a gente,
Warner Vonk
CEO na Buus

warner

Autor: warner

CEO of Buus | Promovendo a transformação digital do transporte de colaboradores no Brasil e no mundo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *