O que é Gestão de Mobilidade

E como a falta dela impacta negativamente o seu negócio.

Parece simples… mas como organizar o transporte dos colaboradores?

“Eu tenho 5 mil funcionários. Quantos ônibus eu preciso contratar para levá-los até o trabalho? E em quantos quilômetros rodados?”

Esse é um problema grande: Utilizando apenas 5 ônibus a mais que o minimamente necessário, você já tem um gasto milionário ao ano! E a pessoa responsável por fazer esse planejamento – geralmente alguém do RH – não sabe fazê-lo, não tem a qualificação ideal para fazê-lo e não quer fazê-lo.

Por mais que seja feito um planejamento inicial ótimo, ao longo do tempo (e levando em conta a rotatividade na empresa) ele vai sendo degradado – e a empresa começa a gastar mais do que precisa.

A pandemia deixou o transporte ainda mais complexo

Como se organizar o transporte de colaboradores já não fosse tarefa suficientemente difícil, veio a pandemia de coronavírus – e com ela a redução de embarques no veículo por questões de biossegurança. Como garantir que os profissionais cheguem com segurança e tranquilidade até o trabalho e depois às suas respectivas residências sem que a empresa gaste mais do que o necessário?

Desde 2015 nós, da Buus, fazemos o acompanhamento da organização do transporte por fretamento através de soluções tecnológicas, além de promover a transformação digital das mesmas. Durante esse tempo de pandemia vimos que a organização do transporte, que se dava por processos de planejamento estáticos e monitoramento de operações padrão, virou um processo mais dinâmico com atualizações semanais, diárias e até em tempo real.

Com o avanço do formato de trabalho híbrido (em que parte dos colaboradores trabalha alguns dias de casa e outros no escritório) somado aos cuidados para evitar a contaminação por COVID-19, a demanda de transporte muda a cada dia e cada hora. Por exemplo: caso um passageiro teste positivo para covid no dia, as rotas dos próximos dias precisam ser reajustadas e também é necessária uma verificação das rotas dos dias anteriores para rastrear possíveis contágios. Tudo isso sem esquecer os gastos da empresa, que já devem estar perto do dobro devido a redução de capacidade dos veículos.

Para que o transporte melhore, é preciso gerir a Mobilidade e o Acesso

A soma desses fatores levam ao aumento da carga de trabalho na organização e planejamento do transporte, que por vezes podia ser resolvido com poucas reuniões e em apenas 1 dia por mês. 

Além disso, a essência do trabalho também mudou: anteriormente, apenas era necessária a disponibilização do transporte. Agora é preciso organizar a mobilidade – oferecer outros meios de transporte e planejar alterações de turnos com home-office, assim garantindo o acesso aos meios de produção e aos colegas de trabalho para gerar valor à empresa.

Separadamente as tarefas parecem simples, mas como são tarefas interdependentes, dinâmicas e que interagem entre si, elas são de fato complexas. Por isso surge a necessidade de reunir todas essas funções – de definição de objetivos, organização, planejamento, acompanhamento, comunicação e realinhamento do transporte – e dedicá-las a um profissional capacitado para resolvê-las: o Gestor de Mobilidade!

warner

Autor: warner

CEO of Buus | Promovendo a transformação digital do transporte de colaboradores no Brasil e no mundo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *